• Categoria: nossa história
  • A Menina dos Olhos - capítulo II

    26 março 2017

    Foto:Tumbrl
    Para ler o Capítulo I clique aqui.

    Para ler o Capítulo III clique aqui.

    Alguns meses se passaram e as conversas só aproximavam um do outro, fazendo  com que toda manhã fosse um recomeço, o coração dele conhecia mais dela todos os dias. Compartilhavam muitos objetivos, até que Laura o conta sobre uma viagem que faria ao Rio de Janeiro, a cidade preferida dele no mundo inteiro, o que resultou que Kaio pode ajuda - lá antes e durante a estadia dela por lá. Desde as compras das passagens até os pontos turísticos que visitaria, tendo sua opinião sempre.
    Após esse momento, as conversas se tornaram mais fortes e consolidadas. Se atraim por serem parecidos e se conheciam por conhecerem a si mesmo tão bem. Tudo caminhava como ele esperou que fosse, mas em contrapartida chegou o dia em que ela precisou contar algo que o deixaria chocado. Sim, o coração dela pertencia a outro rapaz, pelo menos era o que ela acreditava naquele momento. Kaio não sabia o que fazer, precisou respirar fundo, pensar em tudo que tinha acontecido, até porque todos os momentos que tiveram, independente de terem sido simples foram marcantes para a vida de ambos. A impressão era que o mundo do qual os dois construiram juntos, silênciou por algumas horas, até entenderem o que estava acontecendo.

    00h47 — Laura? Está acordada?
    00h48 — Sim, não consigo dormir.
    00h48 — Como tudo isso aconteceu? — Kaio falava a respeito da ultima conversa.       

    00h49 — Eu não consigo explicar Kaio, as coisas simplismente foram acontecendo ao natural, sabe?

    00h50 — Sim, eu sei.
    00h50 — E o que passa em sua cabeça agora?    
    00h51 — Estou pensando se tudo o que vivemos foi mesmo real — logo Kaio voltou ao pensamento inicial, como se fosse apenas um sonho de verão. 

    Amei cada instante ao seu lado, o jeito como você me respondia através de áudios, sendo a garota mais gentil do mundo, a forma como nossos olhares se encaixavam, o seu sorriso largo que eu fazia questão de ressaltar em todos nossos momentos, sua companhia que sempre me pareceu o melhor lugar para se aconchegar, as suas mensagens de bom dia que me faziam esquecer qualquer conflito interno que eu pudesse ter... Ouvi em algum lugar que o silêncio é o barulho da mente e acho que é exatamente isso que está acontecendo comigo agora. E você o que está pensando?  

    00h59 — Penso que preciso me mudar de você. Mas eu não quero!        — ela disse com uma profunda tristeza no peito. — Passei a semana reescrevendo esse dialogo na minha mente. Não queria que nenhum de nós saísse machucado. Pensei tanto que acabei tendo um sonho incomum. Sonhei que nos reencontrávamos depois de alguns anos, você estava super bem, e sorria bastante. Por fim, percebemos que havíamos esperado demais.
    01h00 — Tudo bem Laura. Seguiremos em frente, deixando que a vida nos ajeite. Torço para que o universo arranje um jeito de fazer com que nos esbarremos por ai. E se por acaso você passar alguma vez pela a rua do meu coração, não êxite em tocar a campainha, eu prometo fazer de tudo para que você fique.   — Ele falou sem questionar, sem colocar nenhum respaldo para que ela mudasse de ideia quanto a deixa-lô.
    Kaio não conseguia sentir muita coisa, mas ele corou sozinho e quando percebeu deixou um sorriso meio torno escapar, sendo esse sorriso o simbolo da esperança que carregava dentro dele.           
    01h17 — Até breve Kaio.

    E partir desse dia decidiram não conversar mais, por motivos óbvios.

    E se essa é nossa história, então vamos fazer direito?

    02 janeiro 2015


                                                             Masie

    Hoje eu acordei como qualquer outra quarta-feira chata, em que eu passaria o dia deitada assistindo séries americanas, porém não foi assim. Acordei com vontade de gritar pra você tudo o que ficou submergido, tudo o que eu decidi calar naquela noite, decisão infeliz a minha.  Senti meu celular vibrar em baixo do travesseiro, logo avistei o bloco de notas. Então comecei:

     "Talvez você nunca veja isso, talvez eu nunca consiga te dizer o quanto eu queria ter lutado por nós naquela noite tão fria. Você foi um sonho que só eu poderia realizar, um sonho que eu jamais deveria ter desistido, logo percebo que tudo o que eu conquistei foi destruído pelas as minhas próprias mãos.
    Vai parecer clichê, mas eu pararia o tempo para fazer tudo certo e depois aceleraria pro futuro pra ter certeza que você estaria lá. Mesmo eu dizendo que não vou mais te ligar, que tudo acabou, que já era... É confuso, difícil de compreender o que acontece, porque só cresce todos os dias o que sinto aqui no peito.
    Eu sei que ainda tenho um pouco de você em mim e me pergunto todos os dias o porquê de ter finalizado a nossa história sem lutar.   
    Uma pena não poder lutar agora, é uma pena não ter coragem de correr em outra direção. Até porque você já decidiu por nós, decidiu deixar pra lá e eu já não posso mais insistir".
    Com carinho, Masie <3

                                                                 
                                                                Jhony

    E foi assim que o dia começou, de frente pro computador com o word aberto. Achei que te devia algumas respostas então foi ai que comecei a ensaiar o que dizer, escrevendo é claro, não queria dizer nada que me complicasse e que nos complicasse.
    "Eu disse que coloquei um fim em tudo, que não havia mais nenhum sentimento envolvido. A verdade é que eu nunca desisti de você e nem de nós. Ainda não desisti das nossas tardes de chuva, filme e pipoca no seu quarto. Por mais que eu diga "tudo bem", a saudade ainda me lembra o teu cheiro.
    E se eu ando tão mal humorado, retrucando e atacando você a cada palavra dita, lembra que isso é só uma forma de defesa. Tenho certeza que me conhece muito bem a ponto de reparar isso.
    Você era do tipo que sempre dava um jeito de nos tirar da monotonia, todos os dias tinha uma novidade, um projeto, um sonho e muitos novos apelidos carinhosos pra nós. E preciso confessar, ainda não estou preparado pra voltar a minha vida monótona, em um apartamento vazio, um gato como mascote e muitas contas a serem pagas.  
    A maioria das pessoas fazem como eu, após o término.

    "Se eu estou bem? Claro, ninguém morre de amor", "superei", "tudo ótimo", "já esqueci"... Ou seja, as pessoas mentem para os amigos e para si mesmas. Mas hoje eu cansei, percebi que na real eu estava me martirizando com todos esses diálogos pré-escritos. Meu medo é que esteja cedo pra fazer tudo errado de novo, te magoar. Assumo. E todos esses medos só me levam até você.
    Talvez esse e-mail nunca chegue à sua caixa de entrada, mas ser sincero me fez muito bem.
    Felicidades, com quem quer que seja".
    Com carinho Jhony

                                                                    ***

    História confusa essa, não é? Tantas juras de amor, tantos apelidos carinhosos, tantos abraços confortáveis e tanta magoa envolvida. Isso é possível? Infelizmente. Talvez se os dois tivessem coragem de falar isso um pro outro. Se fossem tão corajosos a ponto de ultrapassar qualquer dificuldade. A ponto de esquecerem qualquer tempo perdido. E se pararem de colocar outra pessoa no lugar um do outro, as coisas poderiam ser diferentes e até dar certo.  "Se essa é sua história então faz direito", para que não passe o futuro pensando que poderia ser diferente se tivesse pegado outro caminho.

    May Mariano

    Com tecnologia do Blogger.
    © Entrando no assunto - 2017 | Todos os direitos reservados.
    Base de: Laís Portal | Personalizado por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo