• Categoria: amor
  • Estou tão cansada de estar tão exausta

    27 abril 2017

    foto: pinterest
    Estou tão cansada de estar tão exausta.
    Estou tão cansada de ver você e fingir que nada mais desperta dentro do meu peito. Mas para ser honesta eu já reformulei vários diálogos antigos, dos quais eu sei que jamais voltarão a existir entre nós. Pode ser que daqui alguns anos você comece a construir diálogos com um novo alguém, após um casamento lindo durante uma manhã de primavera. Quanto a mim? Não serei mais lembrada, nem como um ex amor. E ainda assim, depois de tudo que vivemos me tornarei apenas a garota que te fez adquirir um pouco mais de experiência quanto a relacionamentos.

    Vamos nos encontrar no shopping, você estará de mãos dadas com uma moça alta e de cabelos castanhos, irá me apresentar pelo o primeiro nome e dizer que comprou uma casa e se mudou da cidade, tenho medo que isso ainda seja um motivo para eu sentar na frente do computador e tê-lo como inspiração de algum texto, mesmo que já tenha se passado sete anos desde que você disse não para o “nós”. E eu o que estarei fazendo? Talvez viajando pelo o mundo em busca de novas inspirações, em uma tentativa fracassada, mas em contrapartida, completamente realizada com os meus escritos sendo publicados em livro, graças à inspiração diária em reformular nossa ficção.

    Talvez eu continue apaixonada por alguém que nem exista mais, alguém que eu conheci a exatos sete anos, em um inverno triste, do qual tudo passou a fazer sentido através de um simples olhar. Olhar intenso, que me fazia viajar por alguns infinitos. Um cara com o coração gigante, disposto a servir sempre. Com sorriso largo mesmo sem mostrar os dentes. Um cara que sonhou comigo, que planejou um futuro ao meu lado. Até o dia que desistimos do “nós”, até porque nem sempre o que queremos é o que precisamos.

    Não sei se você ainda toca naquela banda adolescente. Talvez tenha trocado o café quente por chá gelado. Sua playlist no Spotify com certeza recebeu novas bandas. Em contra partida nada mudou no meu hoje, ainda sinto que sou transferida para a primeira festa que fomos juntos, enquanto eu tentava me equilibrar naquele salto, você lembra o quão ridícula eu estava tentando te impressionar? 
    Sinto-me tão exausta, esperando em um tempo de cura, que parece nunca chegar. É como se ainda escutasse você cantar ao telefone toda vez que repouso minha cabeça no travesseiro antes de dormir. Exausta de escrever sobre um amor sólido que a cada dia me dar sinais quanto ao fim de tudo.

    Decepciono-me por não saber mesmo depois desses longos anos o porquê da sua partida. E acabo repousando em lágrimas, por um amor cada dia menos sólido. 
    Mesmo aceitando confesso que ainda nutro uma pontinha de esperança no que costumávamos chamar de “nós”. Achei que eu merecia por tudo que fui. Porém uma certeza meu amor, não me arrependo de ter sido inteira quanto a tudo que vivemos.    


    A Menina dos Olhos - Capítulo I

    11 março 2017


    Para ler o Capítulo II clique aqui.

    Para ler o Capítulo III clique aqui.

    “Não posso negar que ainda tenho um sentimento enorme dentro do peito. Apesar de todo esse tempo que passamos longe, a saudade continua, desde o dia que deixei você ir. Eu logo precisei ir também. Eu saí de casa, conheci várias garotas, tentei amar — mas não foi como o esperado, me formei na faculdade, consegui um emprego incrível, comecei a morar sozinho, me desprendi de várias inconstâncias, mas ainda assim vivia como se faltasse um pedaço de mim”.
    — Kaio.

    Kaio acabara de chegar dos Estados Unidos, onde havia tido experiências incríveis. Ele não esperava dar a sorte de ser convidado para um acampamento, no qual ele não fazia ideia do que o esperava. Despediu-se dos pais, recebendo a benção dos mesmos e assim entrou no ônibus para o tão esperado acampamento. O rapaz era um tanto quanto tímido na frente de pessoas que não conhecia. Sentou-se ao lado de uma senhora no ônibus e com isso mantivera-se calado até chegar a uma das paradas em um restaurante, antes do seu destino final – o acampamento.

    Ao tempo que os quilômetros iam sendo percorridos Kaio se deu conta que não parava de observar uma moça sentada na primeira cadeira do ônibus. Ela tinha cabelos escuros, era de baixa estatura (o que fazia com que o banco do ônibus parecesse grande demais para ela), seus pés mal tocavam o chão, logo os colocou em cima do banco, ao contrário dele ela parecia está bem familiarizada com o pessoal. E o que ele mais percebia era a cena do sorriso largo que ela soltava em quanto surgiam às piadas em grupo. Kaio tivera vontade de sorrir por isso, no entanto sua timidez não deixava, então se conteve por dentro, afinal não conhecia ninguém direito e nem imaginaria que aquele sorriso faria algumas mudanças dentro dele.

    O acampamento chegou ao fim, e durante todo o final de semana, não tiveram nenhuma oportunidade de se aproximarem, o que fez com que Kaio saísse dali com alguns questionamentos – será que não é apenas um reflexo daqueles filmes em que assistíamos durante a adolescência? Do qual conhecemos alguém especial e por medo e insegurança escondemos o que sentimos.

    Alguns dias, semanas, meses se passaram e Kaio continuara a lembrar da “menina dos olhos” – é assim que ele costumava chama - lá. E por incrível que pareça ele sabia as reuniões que ela freqüentava, logo sabia onde encontra-lá. Até que decidiu tentar ir atrás do “grande talvez” dele. Kaio se aproximou dos amigos de Laura, na expectativa que em algum desses encontros acabassem se conhecendo. Mas não deu muito certo, então se permitiu esperar na vida e no tempo natural das coisas. Continuou a freqüentar as reuniões que ela estava, afinal, ele gostava do lugar e do ambiente. Sempre a observava. E o que mais o atraia nela, era a forma com que cuidava das coisas, as atitudes dela o fascinavam, era muito bom para os olhos. Estava sempre cedo por lá, organizando as cadeiras, conferindo se as pessoas que havia convidado tinham chegado e tudo aquilo fazia com que o coração dele ficasse orgulhoso, mesmo não a conhecendo. Tudo o que ele previa parecia mais solido a cada encontro, ela era alegre, divertida, com um senso de humor incrível, com um caráter brilhante e sempre dedicada a tudo aquilo que fazia.

    Felizmente para Kaio houve uma dessas reuniões em que havia poucas pessoas, e para sua sorte, Laura estava lá também. Ele podia sentir o cheiro agradável dos lindos cabelos longos dela. Blusa branca e calça jeans, a combinação perfeita da simplicidade que ele enxergava nela. Deus só podia ter caprichado muito nessa garota. O mundo parecia está em câmera lenta agora, passando uma trilha sonora que apenas ele escutava.

    Tirou de dentro de si uma força que jamais imaginara ter, passou por cima da vergonha e das inseguranças e foi. Ele sabia que a vida tinha preparado o melhor momento para isso. Não foi uma conversa muito longa mas foi suficiente para perceber que todo o sacrifício que podia vir pela frente seria vencido, pela pessoa incrível que ela era. Trocaram telefone e começaram a conversar diariamente, ele conheceu a pessoa mais incrível que a vida o poderia apresentar, começou a ver quem ela era de verdade, e quer saber? Ela era incrível, não se importava em passar horas e horas conversando sobre música, faculdade, planos pro futuro, objetivos e comida. Ela não se incomodava se ele a pedisse pra ficar mais um porquinho. Os dois desenvolviam uma sintonia incrível. Ele não se importava em receber um milhão de fotos e escolher uma para que ela postasse. Não se importava em ficar até de madrugada rindo de coisas bobas, fazendo rima e mandando um para o outro.

    Aproveitava cada momento, mesmo que pouco ao lado dela, cada palavra que digitava, cada áudio - aproveitava tudo. Tinha prazer em ouvir sobre ela. E tudo era muito bom, até pegar ônibus lotado em plena segunda-feira, abrir a linha do tempo e a primeira postagem ser uma foto dela, chegar em casa cansado da faculdade, pegar o celular, sentar na cama, perguntar como havia sido o dia dela e passar horas ali em um momento só deles. Chama-lá de linda sem esperar elogios de volta, falar bobagens e esquecer o quão dificil havia sido o dia de ambos. 

    Siga o blog, para não perder os próximos capítulos.

    Eu não sei nada sobre você

    19 fevereiro 2017


    Eu não sei nada sobre você. A única coisa que me recordo desde que fui dormir ontem a noite, é a imagem de um rapaz sentado nas escadas da faculdade, com um café, um livro, camisa regler de manga azul marinho e aquela sombrancelha erguida questionando alguma parte do que lia.

    Porque tudo o que consigo me lembrar é que a sua camisa tinha estampa do Johnny Cash, com isso deduzo que você goste de discos antigos e que tenha vários entulhados no seu quarto.  

    Eu não pude dizer “oi”, com isso não sei nada sobre você. Só consigo me lembrar que peguei o celular e sentada no chão ema sua diagonal eu começava a digitar esse texto no bloco de notas, sem nem saber “pra quê” e “por quê. Apenas tentando disfarçar cada olhar.

    Tudo o que eu me lembro é que você parecia inteligente e acabei deduzindo que fazia psicologia, talvez por estar lendo “O Mito da Liberdade” do Skinner, com isso o máximo que eu poderia saber era que simpatizava com a abordagem comportamental.

    Tudo o que eu sei é que na semana seguinte você continuava lá, enquanto eu elaborava um plano para que me notasse sem parecer tão previsivel. Tudo que eu tinha de mais concreto era sua voz na minha cabeça, dizendo,  “eu nunca ti vi por aqui, moça?!”.

    Eu não sei muito, digo, tudo o que eu sei é que fazia frio naquela noite e que estava propricio para um final de semana chuvoso acompanhado de leite quente, pipoca e netflix – sim eu gosto dessa combinação, e tudo que eu me lembro é que torcia para que você também gostasse.

    Eu não sei seu nome, mas já planejei cantar no carro ao seu lado quando pegarmos a estrada para aquela fazenda no interior com a sua familia. Já planejei agradecer cada gentileza que sua mãe me fizer.

    Porque tudo que eu consigo me lembrar é dos diálogos que crio a respeito daquela garota que te abraçou só para sentir seu perfumo mais de perto – diálogo do qual boa parte, sou eu negando até a morte um pouquinho de ciúmes.

    Eu não sei muito, mas posso dizer que quando eu tiver uma gaveta pequena no seu guarda-roupa desejo que você não se incomode com meu TOC em organizar as camisas por cores. Já imagino algumas discurssões quanto a sua desorganização e minha mania de achar que apenas o meu jeito é o certo.

    Depois de alguns anos eu só lembrava da vontade que tinha de voltar naquele outono e fazer diferente. 

    Eu achei que fosse autoconfiança, mas não era. (Parte I)

    25 janeiro 2016


    Pessoas entram e saem de nossas vidas o tempo todo, tenho certeza que já deixei várias partirem assim como eu lutei pra que algumas ficassem. Levei um tempo, mas por fim acabei descobrindo que tentar fazer com que elas permaneçam não vai ser sempre o meu papel. Cada um tem sua própria história e ao contrário do que eu acreditava ninguém é obrigado a dividir o fardo se não quiser.
    Em sua grande maioria nos esforçamos e lutamos para caminhar ao lado de pessoas que não fazem parte da nossa história, na real, elas nunca caberiam no nosso enredo, mesmo que estejamos totalmente  certos disso.

    Desistir de alguém não é vergonha, seja um amigo de infância ou um cara que te entregou um bilhete com o número do WhatsApp nas escadas da faculdade, tanto faz, em contra partida você abre mão de todas aqueles certezas que você sabe que nunca foram certas. Desistir é entender. Entender que pode abrir mão das suas escolhas que pareceram tão certas no início. Mas que por fim não são um ideal e muito menos algo concreto, em outras palavras se dará conta que está em constante desconstrução.

    Amores e coisas Bailarinísticas

    01 janeiro 2016


    - Eu te amo.
    - Eu também te amo.

    Às vezes o momento em que você pode falar o que está dentro de ti chega sem aviso prévio e o que estava submerso pode-se revelar finalmente.

    Quando tudo vai mal e as palavras não podem mais resolver os conflitos, não importa a idade, você pode ser a garotinha iniciante do ballet com uma grande carreira pela a frente ou a jovem mulher de 30 anos que já estreou como solista em vários espetáculos, nada muda você chora por horas e logo vem o luto. E quando você se frustra, parece que o fim vai chegar a qualquer momento, em forma de palavras ou atitudes.
    Talvez o que vem depois de tudo seja um verdadeiro desafio. A partir daí você começa a lidar com atitudes de verdade sejam elas boas ou ruins. E todo o encantando se transforma em um dueto real no qual os dois são seres humanos frente a suas fraquezas e defeitos.  E depois de tudo se lembram da promessa de fazer dar certo independente da falta de sincronia. 
                                            
    E com o passar dos dias e das rotinas já impregnadas, o seu dueto se torna um solo, quando você é a única que sabe a sua coreografia.  Não precisa carregar tudo sozinha, porquê mesmo dançando um solo se o vínculo for forte o suficiente vai perceber  que não está sozinha. Então é só torcer para que o seu padedê (termo usado no ballet para coreografias dançadas a dois) encontre um jeito de voltar. 
    E quando entendemos que o importante não é criar um padrão de relacionamento para a sua felicidade, tudo muda, você não cria tantas expectativas em cima do que você já predestinou, não se frustra e muito menos se chateia por bobagem. Tudo é mais leve durante a dança. Até os maiores clássicos tiverem suas variações, O Lago do Cisne, Coppélia e até mesmo Giselle foram interpretados por diversos bailarinos.
    Hoje, meu amor, foi mais um daqueles dias que erramos a coreografia, mas que continuamos lutando para acertar como todas as outras vezes. 

    Meu lado bom {...}

    25 dezembro 2015


    Era noite e eu começava a sentir aquela brisa junto à tempestade que tentava me assustar ao tempo que seus braços me envolviam em perfeito afago, tirando qualquer possibilidade do frio continuar me cobrindo, ao invés disso, eu costumava ser o abrigo que não o deixava se molhar na tempestade e você era o fogo que me mantinha aquecida. Virei-me em buscar de ver seu rosto na escuridão que nos cobria, enquanto sua imagem se construía como um paradoxo em total singularidade dentro de mim. Já não existia mais sono, logo os pensamentos quanto a nós dois e aquele momento começavam a brotar com uma trilha sonora um tanto quanto clichê ou até mesmo piegas, mas o que seria de nós elas?
    Sempre gostei da minha bagunça e o silêncio no qual eu partilhava comigo mesma antes de dormir, mas após a sua chegada tudo era muito mais interessante do que eu acreditava ser. Do seu lado do mundo tudo é mais intenso, tudo tem uma trilha sonora agora {...} Observando seu jeito de dormir percebo que algum tempo se foi desde que esse texto começou a ser construído na minha mente e que já está mais que na hora de dormir, porém, eu gostaria mesmo de começar a te contar tudo o que venho maquinando, porem não posso acordá-lo, não agora que me parece está descansando de verdade após um dia tão exaustivo.  
    Falando em dias exaustivos, comece a me contar sobre eles, prometo prestar atenção mesmo sendo apenas com o olhar. Eu sei que você tenta cuidar de mim, a ponto de não querer se manifestar nos momentos ruins da sua vida, porém continuo a repetir, estou aqui para te defender de você mesmo caso precise. Os problemas se aprisionam em nossas cabeças em forma de lembranças ruins, então as deixe livres para que fujam de nós com o vento após o outono.
    Mesmo com o pouco tempo eu percebo que acabei pegando alguns dos seus trejeitos e logo que o conheci não fazia ideia que acabaria reproduzindo características tão próximas a sua personalidade, que por vezes terminou alguma frase minha sem que eu pudesse finalizá-la. Isso me assusta, o fato de me conhecer tão bem sem ao menos perceber. E até nas pequenas diferenças, você dar um jeito de andarmos juntos, sendo eu as “respostas para todas as perguntas que nem você imaginava ter”.


    Como eu sempre digo me, “você tirou para dançar em meio aos escombros enquanto meu coração estava em pedaço...” e isso só me faz ter mais certeza de que depois das paixões se encontra o amor e nele é tudo mais sincero e de verdade, não tem essa de ser frio ou quente você não tenta ser nada, você apenas é. 

    Em constante desconstrução

    12 outubro 2015

    Novamente me encontro uma bagunça, dessa vez mais desordenada do que o normal. Isso é ruim? Não, não é ruim.
    Até um tempo atrás eu exigia um coração 100% ordenado, e com belos pilares, mas hoje não mais. Percebi que quanto mais tento me organizar, e constituir um coração consistente é que eu me torno incapaz de ser a menina que nasci pra ser.
    É tantos momentos tentando se encontrar, que acabo me desencontrando. Todos os meus esforços para se aventurar na infinidade de estados que existem na minha alma, se limitam diante da própria pressão imposta da minha parte.


    Desde que fiquei diante dessa situação, cheguei na seguinte conclusão: preciso me deixar desconstruir. Enquanto essa constante desconstrução acontece, dos escombros, uma nova menina sairá. E dessa vez não precisarei me pressionar para alguma mudança ou organização acontecer, porque o dono da minha alma, fará tudo com o Seu perfeito amor. A naturalidade da sua bondade e entusiasmo para comigo, irá me levar além da minha percepção sobre o que eu sou, e sempre me fará conhecer os novos estados que Ele mesmo constituiu em mim.

    Você na minha bagunça

    07 setembro 2015


    Eu sempre achei que já não caberia mais nada na minha bagunça e você me surpreendeu logo quando eu decidi arrumar.
    Houve um tempo que eu tentei fazer tudo isso sozinha, mas já sabia que não poderia ir muito longe. Senti vontade de discordar de alguém, de não ser a única a falar, de ter alguém que me ajudasse a bagunçar.
    Foi quando você entrou e bagunçou mais ainda, varreu a sujeira do meu coração pra de baixo do sofá da auto-estima e encontrou a vontade de ser feliz que eu havia perdido há algum tempo.
    Em meio a tudo isso, acabei recuperando a vontade de escrever, que eu havia esquecido em baixo de algum monte de lembranças ruins. E pela a primeira vez na vida alguém encontrou sonhos em meio a tantas frustrações. E quando você voltava pra casa da janela eu percebi que havia esquecido o meu perfume na tua blusa e teu cheiro de roupa lavada no meu travesseiro.
    Quase nada do que disse era verdade, menti sobre não te querer e te empurrei pra longe. Não pense que não te quis, mas se você se perde, pensa-se que jamais poderá se encontrar. Mas a verdade é que só preciso da tua calma pra me fazer respirar mais de vagar. Ao contrario do que todo mundo diz eu nunca me achei na minha bagunça, em contra partida você chegou e reorganizou tudo o que eu pensava ter perdido.
    Então vem, sem medo, com garra. Faz-me acreditar que tudo isso é uma verdade, que não preciso mais fugir, que nossos valores se encontram pra se unir. Mostra-me o quanto você é necessário e suficiente. 

    Caça Tesouro

    06 agosto 2015



















    Todas as coisas que existem ao nosso redor tem seu valor, sua beleza e sua singularidade.

    Há uns meses atrás decidi enxergar beleza por onde eu passasse, e não não me importava o lugar, estava decidida a encontrar os tesouros que valem mais que ouro e prata.

    Me lembro do dia em que estava no centro da cidade e passei perto de uma praça bem conhecida daqui, era final de semana. E dai, vi dois moradores de rua conversando, passei reto, entretanto meu extinto foi maior e voltei, olhei pra eles e perguntei ''Vocês precisam de água?", eles disseram que tinha, mas se eu pudesse dar mais, estariam de mãos abertas. E então fui na farmácia, comprei o número de garrafinhas que meu dinheiro permitiu, paguei, atravessei a rua e fui de encontro com eles, entreguei o que tinha comprado. Olharam pra mim com aquele olhos de gratidão, disseram obrigado, e sorri para eles. 

    Enquanto voltava pra casa a pé, o sorriso no meu rosto, e alegria eram perceptíveis, nunca senti algo parecido, era uma felicidade nova, que tinha o motivo mais singelo do mundo. 

    E sabe, talvez eu nunca mais veja aqueles homens, porém foram eles que fizeram meu domingo colorido, só pelo fato de deixarem eu servir eles, ama-los por uns minutos, e por fim cada um me dar em troca o melhor presente de todos: um sorriso repleto de gratidão. Aquele sorriso foi um tesouro que achei quando peguei a pá e decidi cavar a terra.

    Como o João Bertoni já disse em um dos seus vídeos ''seu pequeno momento aqui pode ter impacto eterno'', mesmo que seja pequena sua atitude, ela tem um valor, os pequenos gestos são o que muitas vezes marcam vidas inteiras, você pode ter certeza disso.


    Bora conversar (vulgolola@gmail.com). Te espero lá! ;)  

    Fugaz

    05 maio 2015


    E assim as paixões acontecem, seja na escada da faculdade, no ônibus ou no mercadinho da esquina. Ela costuma ir embora tão rápido quanto chega, pelo menos comigo sempre foi assim. Percebemos detalhes tão pequenos que quando menos esperamos estamos com grandes expectativas que talvez nem chegue a ser recíproca. Então surgem as pequenas ansiedades que confesso gostar, começamos a tomar mais cuidado com as palavras, com as atitudes, ninguém quer passar uma impressão ruim logo de cara.  Mas além de tomar cuidado com tudo isso, acredito que existe algo bem mais importante a se preocupar, são as emoções, não queremos que nenhum coração saia magoado, mesmo sabendo que na prática não é bem assim que funciona. Tudo se torna melhor, acordar, estudar, trabalhar e até pegar aquele ônibus lotado em plena segunda-feira. Com isso incluímos os detalhes mais imperceptíveis em nosso dia a dia, criando, imaginando e acrescentando na nossa história.  Mas nem sempre conseguimos separar nossa imaginação da realidade, chega ser engraçado, quando nos pegamos em meio a um pensamento tão intenso com alguém que você acabara de conhecer. Não nego que por vezes isso acontece comigo e não vejo mal algum, idealizar algumas coisas nos faz bem, acredito que idealizar não é igual a gerar expectativas o mal é quando passa disso.  E depois de tudo isso você percebe que está se apaixonando, enquanto sua mãe e todo o resto do mundo sacaram depois do seu ultimo texto.          
    Mas chega um dia, depois das paixões que se encontra o amor. E nele tudo é sincero e de verdade, não tem essa de ser frio ou quente você não tenta ser nada, você apenas é. 
                                                         

     May Mariano

    Faíscas da eternidade

    27 abril 2015


     Você está nos meus sonhos noturnos. Você está nas minhas inspirações diárias. Você está nesse ar que eu chamo oxigênio. Você está em casa, na minha casa (sou tua morada). Você está em meus ouvidos. Você está nos ventos que fazem as folhas da árvores dançarem. Você está no sol. Você está na simplicidade de uma criança. Você está na paz que sinto durante os dias. Você está nos pingos de chuvas que caem das nuvens. Você está no céu azul que eu tanto amo. Você está nas flores mais bem desenhadas e pintadas. E por mais que eu só veja essas faíscas da eternidade que me espera, quero apreciar sua beleza, a expressão da sua gloriosa natureza. Percebo que aqui nada é eterno, esse planeta é tão limitado, e a cada ano ele se desgasta mais, por mais que ele tenha pouco tempo ainda para continuar a existir, enquanto eu estiver aqui quero me reencontrar todos os dias com o que Você tem sustentados durante anos, como o sol, o céu que até mesmo nublado não deixa de ser bonito. E se um dia eu sair para fora da minha casa, e essas coisas pararem de de me chamar atenção, preciso voltar algumas casas e reencontrar meu coração.

    - Paola Oliveira

    Vai com calma coração

    25 abril 2015



    Hoje o dia começou diferente, queria escrever sobre algo verdadeiro. Cansei de formular textos bonitos. Então a coisa mais real e verdadeira que eu conseguia pensar era você e a tua simplicidade.

    Sinto meu coração tão sobre carregado, a ponto de não conseguir ouvir você. Sinto que estou caindo, estou desistindo. Não me canso de repetir “Calma Coração”, não me canso de ouvir você repetir “Calma Coração”.  Tento escrever e tudo que penso me levam ao teu amor. 
    Foi você quem me mostrou o que eu nasci para fazer, já não posso mais andar por mim.

    Preciso confessar que em meio a todo o caos eu cheguei a duvidar sobre quem você era, cheguei a cometer a maior das mentiras, eu menti para mim mesma. No entanto mais uma vez você me mostrou a verdade e me disse: “Quem busca a verdade não se engana”. Amou-me quando eu duvidei.

    Nos dias que eu acordei em meio à escuridão era você que estava lá, era você que rompia todos os meus medos com a tua gloriosa presença. Lembro-me da cura da minha alma e penso que não posso mais estar só, não há possibilidade de se estar, quando se tem alguém que cuida até dos mínimos detalhes só por amor.

    Não há nada melhor do que quando penso estar sozinha e teu abraço me constrange, você é melhor do que qualquer beijo apaixonado, do que qualquer romance. E se for para chorar que seja por tua grandiosa misericórdia e não porque alguém partiu meu coração.
    É você quem me faz entender a poesia da vida. Você é o próprio amor.

    Calma coração, a ultima palavra é dEle.

    May Mariano <3 

    Verbo Amar

    22 abril 2015


    Me encontrei nele, quando havia me perdido. Me senti acolhida quando o mundo virou as costas para mim. Pude apreciar em meio às dores, a sua deleitosa presença.

    As tuas palavras Aba me dizem que me conheces desde meu nascimento, não discordo disso, até então, tu que me fizestes.
    Quando ainda minha morada era o ventre da minha mamãe, o Senhor se achegava e cuidava da minha formação, soprava tua vida em minhas narinas. Sabe cada passo que eu dou, e em todos, tua mão está aqui. Vê o meu caminhar, conhece todos os passos e anda sobre minha alma todos os momentos. — as caminhadas dele são as melhores.

    Constante sua presença. Educada sua chegada. Inteligência infindável. Conhecimento inatingível. Graça misericordiosa. Cuidadoso em tudo que faz. Ilimitado em tudo que é.

    Vem cá, fica aqui, para sempre meu Abba, tua presença é o que eu desejo para sempre.


                                                                       Paola Oliveira
                                                                          facebook
                                                                      @_paoliveira

    Sei lá

    20 março 2015


    ELA:
    A cada dia que passa só tenho mais certeza que eu odeio tudo em você. Eu odeio seu gosto musical e o rock que você toca, mas sei lá, eu amo a forma com que você acredita na vida. Mesmo quando tudo vai mal e você não tem nem grana para o almoço, consegue acreditar que no próximo mês as coisas vão melhorar. Eu odeio o jeito que arruma o cabelo e aquele vans surrado que não tira do pé, mas sei lá, amo o jeito com que me olha e bagunça meu cabelo. Eu odeio a sua irresponsabilidade com a faculdade e o trabalho, não sei como ainda não te demitiram, mas sei lá, eu admiro a forma que se preocupa com os amigos, “onde come um come quatro”. Eu odeio ter que te acordar toda vez naquela aula que você odeia, mas sei lá, a sua sinceridade de fato é raridade. Eu odeio seu mal humor matinal, mas sei lá, gosto dos momentos bons, que duram muito mais do que qualquer uma das suas bipolaridades. Eu odeio seu cigarro e a bebida que não larga, mas sei lá, você acaba sendo a harmonia do que eu canto e isso me motiva mesmo quando você não escuta meus conselhos. Eu odeio o seu xarope de madrugada e o vomito pela a manhã depois de muita bebida e nenhuma comida sólida, mas sei lá, isso só faz eu te odiar e querer cuidar de você. Assim vamos seguindo, somos como o fogo e a chuva, como o sim e o não, como o calor e o frio. Mesmo eu odiando tudo em você, confesso, lá no fundo é só preocupação.       

    ELE: O incrível é que eu concordo com tudo, tem todos os motivos do mundo para me odiar. Devo confessar que nada adiantou beber até cair. Mas enquanto meu corpo estava para baixo você me levantava derrubando todas as barreiras que me impediam de lutar, isso fez com que eu gostasse ainda mais de você. A verdade é que você acredita em mim e depois disso nunca deito e durmo. Sempre fico imaginando nós dois juntos. Toda vez que me lembro da sua voz é como se tivesse sido ontem.  A nossa diferença é nítida e mesmo que você pareça a minha mãe falando que um dia vou me arrepender de beber tanto, prefiro acreditar naquela velha frase do Teatro Mágico, “os opostos se distraem e os dispostos se atraem”.
    Eu ti queria muito. E ainda te quero.     
    Meus amigos e até a minha família acham que sou louco e que posso estragar quem você é com o modo que costumo levar a vida, no entanto você me provou que nada tira sua essência e foi por isso que gostei de você. 
    Preciso que saiba o quanto entendo suas cicatrizes, os cacos e os tombos. Não quero ser autor de mais nenhum deles. Então não desista agora.


    May Mariano

    Levante do sofá

    20 fevereiro 2015


    Hoje eu acordei com uma vontade enorme de fazer tudo dar certo, de fazer com que todas as metas para 2015 saiam do papel para a realidade.

    Nós como seres humanos sempre preferimos permanecer na zona de conforto, deixando qualquer oportunidade que tenha a possibilidade de falhar passar. Continuamos em relacionamentos mal resolvidos, em empregos que não superam as nossas expectativas, em cursos na faculdade que odiamos e nossos pais adoram...  e hoje eu me questiono, por que continuamos? Talvez por que o sofá da sua casa é mais confortável que o sofá do mundo lá fora e principalmente porque temos medo de arriscar. Como dizia o Chorão “O medo cega os nossos sonhos...” As pessoas vivem depositando medos em seus sonhos e isso não os alimenta,  pelo o contrario a tendência é matá-los.  Com isso continuamos vivendo em função do nosso conforto, porque dar certo, porque funciona e o novo pode ser uma ameaça para o nosso sofá tão aconchegante.

    Eu realmente decidi sair da inércia, porque percebi que fazer tudo igual o tempo inteiro não é definido como VIVER, mas sim como SOBREVIVER
    Trago os seguintes questionamentos. Mas e se não der certo? Se as expectativas forem menores que os resultados? Qual o problema de ficar de pé e tentar de novo? Qual seria a graça da vida se ficássemos o tempo inteiro dentro da bolha vivendo uma vidinha medíocre que na verdade não te deixa feliz, apenas te deixa confortável.

    Para as coisas mudarem às vezes é necessário que muitos de nós sejamos confrontados pela a vida, com algumas pessoas funciona assim, pra que elas tenham forças pra lutar.
    Então para que as coisas passem a dar certo se levante e faça o que deve ser feito.


    May Mariano

    Eu, você e o tempo.

    12 janeiro 2015


    Se quiser pode apertar minha mão, segura ela e vem! Só precisamos ter coragem de nos aventurar em um mundo alheio, com essa força de vontade podemos alcançar  qualquer sonho. É só respirar fundo e ter coragem de enfrentar os medos, inseguranças, alegrias, conforto, aconchego, ciúmes, brigas e reconciliações. 

    Eu gostaria mesmo que as coisas dependessem do tempo, se fosse assim eu daria um jeito de ajustar a hora para o dia exato em que tudo isso começou, só para poder  fazer tudo de novo, quem sabe assim teríamos um enredo diferente. Qual será a hora certa? O tempo certo? Daqui a dois ou cinco anos? Será mesmo que vai ser igual? No mês que vem talvez? Em qual número a gente liga para reclamar se não der certo? Ainda não sei, mas acredito que não teremos ninguém para culpar caso tudo acabe, a não sermos nós mesmos. Não o obrigo, mas se decidir vir venha por completo, inteiro, com sonhos, conquistas, lembranças, qualidades e imperfeições. Nada disso será submerso se tiver muito respeito e amor envolvido. Seria muito injusto eu pedir pra que você fique? Mas não entenda como se eu quisesse que você desistisse dos teus sonhos. Não é isso, mas será que eu ainda vou ter algum espaço depois deles?

    E será que depois que eu terminar a faculdade e publicar um livro ainda vou te ter em mim? Preciso pedir desculpas por tantas perguntas, mas é assim que estou, com um ponto de interrogação enorme no peito. É nessa hora que bate aquela insegurança de termos tomado a decisão errada. Enquanto pago algumas contas e coloco a bagunça no lugar (não estou falando da bagunça do meu quarto), espero que o tempo te ajude a colocar as coisas no lugar também. Mas enquanto isso, não quero ter que recolher os cacos que sobrou de nós.         

    Você não está mais na minha vida, no entanto não posso negar que de vez em quando as lembranças me levam até você no intervalo de algum filme. Lembrar das vezes que nossas mãos se entrelaçavam e não havia necessidade de falar mais nada porque nossos olhares já faziam esse papel, me leva pensar que poderia ter sido diferente, poderia ter começado diferente.
    E se Deus te colocar de vez na mesma rua que eu não pense duas vezes, toque a campainha e me deixei um oi, assim vamos ter a chance de fazer tudo de novo sem nenhuma vértices do passado.


    May Mariano 

    O meu mal humor e a tua simplicidade

    08 janeiro 2015


    Tenho sido alvo da minha própria negatividade. Colocando-me em meio a tantos conflitos. Por muito tempo procurei me satisfazer com os meus próprios interesses, com isso percebo que nada consegue ser tão simples e tão gracioso quanto os teus sonhos pra mim. E agora já não quero mais te perder, não quero que aquele vazio volte a habitar em mim. Logo a chave do seu amor é a única que pode me libertar e me trazer de volta. 
    É incrível como a tua simplicidade me constrange quando acordo de mal humor. Você é mais real do que qualquer beijo apaixonado. E se ainda existe fôlego, ainda existe esperança. Sem olhar pra trás digo adeus para o velho eu, seguro nas tuas mãos e vou, vou sonhar mais alto, sonhar os teus sonhos.      
    Você foi o único que permaneceu quando tudo andava de mal a pior e me trouxe de volta quando eu destruía tudo com o meu egoísmo e arrogância, me chamou quando todas as vozes se calaram. Tão doce e justo esse amor que me faz esquecer qualquer medo e insegurança, transformando qualquer sentimento ruim em alegria.         
    Por muito tempo olhei e andei na direção errada sem saber qual destino tomar, a cada dia percebia que nada era mais real do que você. Enquanto alguns tentavam deposita suas expectativas em pessoas e projetos aparentemente reais, eu escolhi depositar em ti, que pra mim se mostrou mais real do que qualquer coisa no mundo inteiro.        
    Eu poderia ter escrito as palavras mais formais do mundo, mas o que me atraiu pra perto foi a tua simplicidade, e é nessa hora que tudo começa a dar certo.

    May Mariano 

    E se essa é nossa história, então vamos fazer direito?

    02 janeiro 2015


                                                             Masie

    Hoje eu acordei como qualquer outra quarta-feira chata, em que eu passaria o dia deitada assistindo séries americanas, porém não foi assim. Acordei com vontade de gritar pra você tudo o que ficou submergido, tudo o que eu decidi calar naquela noite, decisão infeliz a minha.  Senti meu celular vibrar em baixo do travesseiro, logo avistei o bloco de notas. Então comecei:

     "Talvez você nunca veja isso, talvez eu nunca consiga te dizer o quanto eu queria ter lutado por nós naquela noite tão fria. Você foi um sonho que só eu poderia realizar, um sonho que eu jamais deveria ter desistido, logo percebo que tudo o que eu conquistei foi destruído pelas as minhas próprias mãos.
    Vai parecer clichê, mas eu pararia o tempo para fazer tudo certo e depois aceleraria pro futuro pra ter certeza que você estaria lá. Mesmo eu dizendo que não vou mais te ligar, que tudo acabou, que já era... É confuso, difícil de compreender o que acontece, porque só cresce todos os dias o que sinto aqui no peito.
    Eu sei que ainda tenho um pouco de você em mim e me pergunto todos os dias o porquê de ter finalizado a nossa história sem lutar.   
    Uma pena não poder lutar agora, é uma pena não ter coragem de correr em outra direção. Até porque você já decidiu por nós, decidiu deixar pra lá e eu já não posso mais insistir".
    Com carinho, Masie <3

                                                                 
                                                                Jhony

    E foi assim que o dia começou, de frente pro computador com o word aberto. Achei que te devia algumas respostas então foi ai que comecei a ensaiar o que dizer, escrevendo é claro, não queria dizer nada que me complicasse e que nos complicasse.
    "Eu disse que coloquei um fim em tudo, que não havia mais nenhum sentimento envolvido. A verdade é que eu nunca desisti de você e nem de nós. Ainda não desisti das nossas tardes de chuva, filme e pipoca no seu quarto. Por mais que eu diga "tudo bem", a saudade ainda me lembra o teu cheiro.
    E se eu ando tão mal humorado, retrucando e atacando você a cada palavra dita, lembra que isso é só uma forma de defesa. Tenho certeza que me conhece muito bem a ponto de reparar isso.
    Você era do tipo que sempre dava um jeito de nos tirar da monotonia, todos os dias tinha uma novidade, um projeto, um sonho e muitos novos apelidos carinhosos pra nós. E preciso confessar, ainda não estou preparado pra voltar a minha vida monótona, em um apartamento vazio, um gato como mascote e muitas contas a serem pagas.  
    A maioria das pessoas fazem como eu, após o término.

    "Se eu estou bem? Claro, ninguém morre de amor", "superei", "tudo ótimo", "já esqueci"... Ou seja, as pessoas mentem para os amigos e para si mesmas. Mas hoje eu cansei, percebi que na real eu estava me martirizando com todos esses diálogos pré-escritos. Meu medo é que esteja cedo pra fazer tudo errado de novo, te magoar. Assumo. E todos esses medos só me levam até você.
    Talvez esse e-mail nunca chegue à sua caixa de entrada, mas ser sincero me fez muito bem.
    Felicidades, com quem quer que seja".
    Com carinho Jhony

                                                                    ***

    História confusa essa, não é? Tantas juras de amor, tantos apelidos carinhosos, tantos abraços confortáveis e tanta magoa envolvida. Isso é possível? Infelizmente. Talvez se os dois tivessem coragem de falar isso um pro outro. Se fossem tão corajosos a ponto de ultrapassar qualquer dificuldade. A ponto de esquecerem qualquer tempo perdido. E se pararem de colocar outra pessoa no lugar um do outro, as coisas poderiam ser diferentes e até dar certo.  "Se essa é sua história então faz direito", para que não passe o futuro pensando que poderia ser diferente se tivesse pegado outro caminho.

    May Mariano

    Menos pressão e mais calma, por favor

    29 dezembro 2014


    Por favor, senhor Doutor aumente a dose dos analgésicos, os de 12 em 12 horas já não servem mais. Ensinaram-me a esquecer uma dor provocando outra, embora isso não pareça muito sensato, funciona se ela for física, como exemplo: você está com dor de cabeça e uma mesa cai em cima do seu pé, certeza que a dor de cabeça passa na mesma hora. Somente nesses casos.  Foi através disso que parei exatamente onde estou hoje. Pergunto-me constantemente se essas dores não vão mais acabar e acredite não falo do corpo, falo da alma. Do coração. O grande erro foi exatamente esse, colecionar conflitos. Quando se está incomodado o certo é resolver, no entanto aprendi que eu deveria sufocar e submergir a atual dor com uma nova, aprendi errado. E logo eu que costumava ser tão metódico, tão pontual, tão certo, tão cheio de regras, me pego dessa forma tão sem forma.        
    Por vezes não fui eu, não fui minha melhor versão e tudo contribuiu para os dias frios aparecerem com mais freqüência.    
    Embora a palavra espontâneo não soe muito bem, prefiro quando as coisas são feitas livremente, o resultado é bom, ao contrario de quando somos pressionados, as coisas saem ruins e mal feitas. É por esse motivo que muitas pessoas vão mal no trabalho, não gostam do que fazem. Se um professor não tem prazer em ensinar, de fato seus alunos não irão sair da escola preparados para um vestibular, para um concurso publico e muito menos pra vida.     
    Ah se não houvesse pressão, se fosse espontâneo..      
    Os aprendizes se tornariam melhores que os mestres!  
    Por muito tempo me senti pressionado, e talvez por isso, desde tão jovem atrás dos meus sonhos, das metas e hoje que conquistei tudo, no auge dos meus 30 anos percebo que nada adiantou. No trabalho eu só sou mais um chefe de gravata e terno escuro.

    Com isso percebo que a pior pressão não era que a que recebia das pessoas, no entanto a que eu mesmo cometia era a que estava me matando.


    May Mariano

    Tarde de dezembro

    18 dezembro 2014



     Foi naquela tarde de dezembro que descobri tudo fora do lugar e por muito tempo eu ignorei as indiferenças, achando que estava bem.  No entanto as suas atitudes tão ríspidas eram só uma forma de defesa para aquela deixa, porque talvez já tenha dado a nossa hora. Não posso deixar de lado o fato de ter esperado tanto tempo por suas respostas, ou melhor, por minhas respostas e logo agora que eu decidi por nós, você resolve voltar e bagunçar tudo mesmo sendo assim dessa forma tão indireta. Você é o tipo de conflito que incomoda somente no silencio, mas que com o tempo todo mundo esquece, menos o coração.  Por mais que eu tente me desfazer de tudo que é físico, fotografias, bilhetes, presentes. A nostalgia ainda continua.
    Se eu disser que não tenho nada de você vou mentir, até porque os seus trejeitos sempre dão um jeito de aparecer em alguma roda de amigos. Pode parecer meio mórbido, no entanto quando olho a nossa história sempre vejo que as maiores cicatrizes são minhas. Embora não pareça são apenas cicatrizes, porque quando eu procuro a dor já não encontro, a verdade é que essa é a primeira vez em muito tempo que não te vejo mais como uma parte de mim, mesmo sabendo que você ainda está lá.
    Gostaria que hoje você fosse meu ponto final, mas é uma pena saber que ainda somos o ponto de interrogação um do outro.
    Nos últimos meses eu fiz de tudo, fiz de tudo para viver em plenitude, viajei, conquistei, ganhei uma promoção no trabalho, fui ótima na faculdade e sonhei mais alto do que nunca. Uma grande motivação para isso era tirar você completamente dos meus planos, mas é claro que não foi fácil e justo agora que eu pensei estar conseguindo fazer tudo sozinha, você resolve interferir no que eu achei ser uma resposta para toda aquela confusão. Não acho justo deixar que você seja o  protagonista outra vez e por incrível que pareça essa história não é sua.

    PS.: Te devolvo tudo que é seu, inclusive o seu coração, porque assim você já pode ir embora.


    May Mariano

    Com tecnologia do Blogger.
    © Entrando no assunto - 2017 | Todos os direitos reservados.
    Base de: Laís Portal | Personalizado por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo